Meus defeitos e a beleza inacessível do Instagram

Estava ensaiando escrever sobre este assunto há meses, mas este é o tipo de post que exige dedicação e tempo para colocar as ideias em ordem e só aí transferi-las para o computador. Vamos lá:

Já mencionei algumas vezes que sou encanada com minhas olheiras. Não é tanto a cor escura que me incomoda (pois isso a maquiagem até ajuda a disfarçar), mas o fato da pele ser funda devido à falta de gordura na região (e o fator hereditário). Por isso, quando fui ao Brasil no início do ano, resolvi tomar uma providência: ir à dermatologista para aplicar ácido hialurônico – uma substância produzida pelo nosso organismo e que preenche os espaços entre as células corporais garantindo hidratação, vitalidade e tonicidade. 

Eu tinha pesquisado na internet e estava animada. A dermatologista foi cautelosa nas aplicações e, por isso, foram necessárias três sessões (se não me engano com intervalo de duas semanas entre cada uma) para chegar ao resultado que eu buscava. 

E por que eu estou contando tudo isso? Porque este meu incômodo com as olheiras piorou de alguns anos pra cá, quando passei a tirar muito mais fotos em função do blog. Pode ser que você que me acompanha nunca tenha reparado, mas quando eu via as imagens de perto era só o cansaço dos olhos que eu enxergava (tanto que precisei de coragem para compartilhar a montagem acima 🙈).

Aí veio o Instagram e parece que a busca pela perfeição se tornou meta de vida de muita gente. Todo mundo fazendo selfie, depois manipulando a foto com vááários filtros em prol de uma pele impecável. Espinhas, manchas, cara lavada? Jamais! O Photoshop – que antes se limitava às paginas das revistas – passou a tomar uma proporção sem limites. Nada é real. Aquela imagem “perfeita” da sua blogueira preferida na verdade tem retoques! E não sou eu que estou afirmando isso – as próprias “digital influencers” mais famosas do País já admitiram em vídeos no YouTube que fazem uso de mil e um aplicativos para alterar o corpo antes da postagem nas redes sociais.

Meu Deus, que mundo é este em que estamos vivendo? O chocante é que eu, mesmo sendo uma pessoa com bom senso e discernimento, comecei a me autodepreciar. Na viagem ao Havaí, o marido tirou uma foto de biquíni numa praia paradisíaca e eu questionei: mas será que eu devo postar isso no Instagram se não sou magra/sarada/modelo? Juro que este pensamento veio à minha cabeça! O marido logo retrucou: mas tá bonita, desencana disso! 

Agora eu pergunto: e daí que eu não tenho o peito durinho, o bumbum empinado, a barriga chapada e as coxas finas? Isso faz de mim uma mulher inferior às outras? A que ponto chegamos que pessoas deixam de ir à praia e se divertir porque estão acima do peso? Tá na hora da gente ser mais gentil consigo mesma e com nosso corpo. Este ideal de beleza inatingível – disseminado especialmente no feed do Instagram – está afetando a autoestima e a saúde mental de muitas mulheres! 

Claro que se algo nos incomoda devemos tentar melhorar, mas sem correr atrás de se encaixar em um padrão qualquer. Por isso, estou procurando aceitar/valorizar o conjunto da obra e me cobrar/criticar menos. Quero parar de me esconder atrás dos óculos de sol quando eles não forem necessários. Quero assumir minhas rugas no auge dos meus 32 anos, meu nariz grande e minha pálpebra caída. Quero não me privar de publicar uma foto feliz porque minha pele está com melasma, porque o cabelo ficou horrível ou porque saí papuda.

Que tal celebrar mais o que a gente já é e o que a gente já tem ao invés de focar em tudo o que nos falta? Vem comigo fazer este exercício diário de amor-próprio?

Comentários

  1. Amiga, ameeeeeeiiii. Esse texto precisa ser divulgado. Também acho que isso afeta mesmo nossa autoestima e saúde mental. Engraçado como a gente se cobra e outras pessoas não enxergam isso. Eu realmente não consigo ver essas olheiras terríveis que você fala. Incrível isso! Eu já tinha desencanado das pernas finas. Mas no dia que usei o short preto comecei a me torturar de novo. Falei várias vezes durante o passeio "ai, como minhas pernas são finas!". Postei o look de blazer amarelo e pernas finas (óbvio, não tem como tirar rs). Para minha surpresa, uma seguidora elogiou justamente minhas pernas 😱. E o look foi muito elogiado também, e foi destaque no ig @cristasestilosas. O que a gente acha feio na gente, tantas outras pesssoas acham bonito. Existem diferentes belezas e diferentes gostos. A gente precisa se aceitar, se amar e ser feliz. Afinal, a vida é bem passageira. Até a beleza de um corpo "perfeito" um dia vai passar.
    Beijo. Parabéns pelo post

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga, fico muito feliz de saber que você gostou do post, pois é um assunto delicado e que afeta nossa autoestima, né? Eu tento ser uma pessoa confiante, mas admito que tem momentos que só consigo enxergar meus defeitos... Por isso que transformei em post, assim fica registrado meu compromisso de me amar mais - do jeito que sou! E isso vale para todas nós, mulheres batalhadoras e imperfeitas <3

      Excluir
  2. Amei seu texto Camis, e seu relato sincero e honesto sobre a auto estima pós instagram!!! Devemos ser nós mesmas, e nos amar assim como somos.... e se por ventura algo nos incomoda podemos sim tentar melhorar mas sem neura! Como sempre vc é 1000....Parabéns

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhhh querida, agradeço muuuuuito seu elogio e comentário! Adoro quando vocês, leitoras, me deixam recadinhos - ainda mais quando se trata de um assunto tão delicado como este! Obrigada de coração =)

      Excluir
  3. Angélica Paixão19/10/2017 05:27

    Excelente texto Camila! É incrível como nos cobramos demais ... Eu por exemplo sou "magra" mas tenho coxão e bundão, além das terríveis olheiras (que pra ajudar são hereditárias). Me cobro muuuuuito e em tudo o que faço. Mas de uns tempos pra cá tenho procurado ser mais feliz com meu corpo e minha vida porque no fim é o que temos e se pensarmos bem no mundo de um modo geral, somos abençoadas pela vida que temos. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você, Angélica! Só de estarmos vivas, podendo correr atrás dos nossos sonhos, já é motivo para ser grata! Além disso, temos problemas "mais importantes" do que ficar preocupada com nossa aparência, né? É que às vezes a autoestima tá lá embaixo, rsrs... Acontece! Mas segue o baile, haha! Beijos e obrigada pelo comentário =)

      Excluir
  4. Muito bom o texto Camila, realmente nos auto depreciamos por estar fora de um padrão inatingível, deixando muitas vezes de curtir a vida e a nós mesmas. Você está muito bonita na foto do Havaí. :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou do post, Jenifer! Tem dias que eu realmente me sinto mal com minha aparência, mas realmente quero (e preciso!) me valorizar mais! A gente tem que se amar antes de tudo, né? Obrigada pelo elogio e comentário! =)

      Excluir

Postar um comentário