Meu estilo pós-maternidade

Desde que me tornei mãe venho pagando a língua, haha! Segunda-feira, por exemplo, fui na Carter's, não resisti e comprei uma sapatilha pra Annalise – e neste post eu afirmava que não compraria sapatinhos enquanto ela fosse bebê, afinal, é dinheiro jogado no ralo porque usa pouco e perde rápido! O fato é que a maternidade mexeu profundamente comigo – e de um jeito que eu não esperava em determinados aspectos...

Há alguns anos eu vi uma amiga se deixar de lado como mulher depois que virou mãe. Inconformada, eu batia na tecla de que – apesar da prioridade ser o filho – ela também merecia atenção. Dei força pra voltar a cuidar de si mesma e da sua aparência. E, por ironia do destino, hoje eu me encontro no mesmo lugar da minha amiga. Mesmo sendo consultora de Imagem & Estilo, atualmente me encontro perdida com minha autoimagem e me vestir tem sido desafiador. Olho para as araras do meu closet e não gosto de mais da metade do que possuo. Fico pensando: quando vou usar essas saias novamente? E salto alto? Sabe quando nada te representa e/ou te agrada? Pois é... “em casa de ferreiro, o espeto é de pau” – já diz o velho ditado. 

O engraçado é que quase não saio de casa e quando tenho a oportunidade de passear bate a maior preguiça de pensar num look bacana. Demoro muuuuito tentando escolher e, no final, pego a primeira peça que vejo pendurada no cabide. Resultado: acabo saindo bem simples e sem graça (mas a minha filha está impecável, de roupa nova e tudo – assim como ocorria com o filho da minha amiga)! O mundo dá voltas, né?!

Talvez seja o cansaço eterno, talvez o meu próprio lifestyle, pois aqui onde moro se eu for ao supermercado de pijama e pantufa ninguém vai me olhar com cara feia. As pessoas são super desencanadas mexxxxmo. Aí eu penso: me arrumar pra quê? Tanto que nem tenho postado looks no blog, até porque só invisto nas produções ultra casuais. São raros os dias em que dá vontade de caprichar e fotografar.

Rola ainda a questão do excesso de peso – engordei muito nos últimos meses (ansiedade = chocolate) e a gordura acumula sempre na barriga, nos pneuzinhos e nas coxas por isso que as calças não servem. O meu quadril também aumentou depois do parto, então me sinto mais “larga” no geral e não reconheço meu corpo (sem falar na celulite e no cabelo caindo). Imagine como está minha autoestima...

Esta mistura de sentimentos me faz questionar qual é o meu estilo atual, do que eu gosto e o que funciona na minha nova vida de mãe. No fundo, meu desejo era começar meu armário do zero de novo, com itens que tivessem mais a minha cara no momento. Já percebi que as blusas e camisas agora precisam ser compridinhas (pois vira e mexe eu pego a Lise no colo e não curto quando a peça sobe e mostra minha pança) e de preferência soltinhas para disfarçar os quilos extras. 

Ponderando tudo isso, é óbvio que mudei – e revendo alguns looks que usava em 2013 e 2014 tenho a certeza de que hoje jamais faria aquelas combinações. Parece que aquela mulher que amava brincar com estampas chamativas e fazer coordenações de cores inusitadas ficou definitivamente no passado. Meu lado ousado está adormecido e nem tem previsão para acordar. 

Até a criatividade está em falta – tanto que venho repetindo looks que já usei (algo que raramente acontecia). Outro dia mesmo eu precisava ir ao outlet onde eu trabalhava e simplesmente não conseguia decidir o que vestir. Peguei uma calça jeans skinny que tem um bordado lindo na perna e coordenei com uma blusa listrada amarela de manga 7/8 porque já tinha usado as duas juntas na viagem a Cancún, em 2017 (revejam aqui). Tudo bem que faz um tempão, porém o fato é que antes eu teria me forçado a pensar em uma combinação diferente, pois dizia pra mim mesma que a blusa X não poderia funcionar apenas com a calça Y. Novamente paguei a língua...

A dúvida que não quer calar é: será que esta é só uma fase e voltarei a ter ânimo pra compor looks legais? Alguma mamãe já passou por isso também? Me conta nos comentários abaixo como você se sentia no pós-parto que vou adorar saber!

Comentários

  1. Oi Camila,

    Vem cá que quero te dar um abraço e dizer que tá tudo bem <3
    [pausa para o abraço] :-)

    Eu também passei por isso (minha filha está com 14 anos rsrsr) e hoje em dia olho pra trás e vejo que tudo foi parte de um processo. Foi difícil (foi sim!) e foi exatamente do jeitinho que vc descreveu no post.

    É complicado dizer pra ti neste momento que tudo vai se encaixar, que tudo fará sentido no final e que vc vai encontrar novamente um estilo pra chamar de seu - porque isso é o que não queremos ouvir agora. Mas tenha em mente que vivemos um dia de cada vez, aproveite sua filha e aproveite sua própria companhia para se descobrir novamente. Isso é para tentar afastar um pouco aquela ansiedade que é nossa companheira diária por vezes...

    Tenha paciência consigo mesma e se ame! Isso sim é importante. Tudo mais virá no tempo certo. E vc está no caminho certo. Acredite! :-)

    Beijão e fica bem <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhhh, Monica! Me senti abraçada mesmo, viu?! Agradeço o carinho e palavras amigas! Eu amo a minha filha e não trocaria a vida que tenho por nada, mas tem um lado meu q talvez sente um pinguinho de falta da Camila fashion antiga, kkkk! Mas sei que com o tempo tudo se encaixará novamente! Um beijo enorme e obrigada novamente pelo comentário!

      Excluir
  2. Ola Camila,acho que vc continua com looks lindos ,mas com certeza essa nova fase que entrou vai mexer nos seus looks tbem porque o momento pede .tenho certeza que encontrara o estilo para essa nova fase e esta tdo bem se sentir assim . bjusss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ô Jussara, fico contente de saber que você ainda gosta dos meus looks, rs! Acho que estou numa fase de transição e com o tempo acredito que entenderei melhor o que meu novo estilo de vida pede para assim poder melhorar minha autoimagem! Agradeço de coração seu apoio! Beijosss

      Excluir
  3. Olá Camila!! Me identifiquei 100% com seu texto! Já faz 02 anos que estou assim....mudou minha vida, minha rotina e minhas prioridades! Tenho focado em roupas confortáveis e versáteis, pois saio muito menos e quando vou passear o meu foco é a minha filha. É um pega no colo, põe no chão, brinca, abaixa, levanta....ufa!!! Não dá pra fazer tudo isso de salto alto e roupinha mega produzida! Até dá, mas diminui o prazer de se entregar à brincadeira! Eu tb tenho vontade de jogar metade do meu closet fora, pois já não me satisfaz. Fiquei meio fora de moda tb, pois agora investir no look dela está muito mais prazeroso!!!
    Agora que meu cabelo já está nascendo novamente pós amamentação, tenho cuidado muito dele, mas é só.
    Porém, acredito ser uma fase ( muito boa por sinal, pois curto a baby ao máximo, e só isso importa!) Aos poucos vamos retomando a vontade de sermos o que éramos e voltamos a nos enxergar como mulheres e não só como mães. Só precisamos ter paciência e curtir cada momento intensamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deniseeee, quanto tempo, mulher! 2 anos já que sua mais nova nasceu? Nossa!! E é bem isso que você relatou: não tenho vontade de usar as minhas roupas, mas também prefiro comprar coisinhas pra filhota do que pra mim, kkkk! Mãe sempre fica em segundo plano, hehe! No fundo, eu sei que esta é só uma fase de adaptação e que eu vou me encontrar como mulher novamente... Basta ter paciência (mas e a ansiedade da pessoa aqui, né?)! Fiquei feliz com seu comentário, viu?! Um beijo grande e obrigada pela força!

      Excluir
  4. Não se cobre tanto! Força aí nesse periodo de adaptação!! Ah...tb continuo gostando de seus looks! rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico contente de saber q você gosta dos looks!! Obrigada pela força e carinho, Déborah! Esse feedback é importante pra mim ❤️

      Excluir

Postar um comentário