Classificação econômica da onça e da renda

Adoro quando as leitoras dão sugestões de posts, porque olha... não é fácil pensar em pautas interessantes depois de três anos de blog! Haja criatividade, haha! O tema de hoje foi um pedido da Grasiele, fiel seguidora do blog e do meu Instagram. Ela quer saber como identificar uma estampa bonita de onça/leopardo e uma bela renda. Porém, já adianto que não existe uma “regra” para facilitar nossa vida – é questão de opinião mesmo! Gosto é gosto e na moda, como sempre digo, não há consenso. Então, fiquei pensando em como EU avalio uma oncinha como rica ou pobre, a fim de mostrar as diferenças e oferecer um guia a quem precisa. Vamos ver se consigo explicar: 

Observem o blazer acima. Esta é a onça mais linda do meu armário. O que me chama a atenção são as pintas grandes (mas com ligeira oscilação de tamanho), a imitação do pelo e as cores puxando para o marrom/camelo com tonalidades diferentes da base ao longo do tecido. Acho que todos estes fatores juntos compõem a reprodução perfeita, a meu ver.

Agora reparem na saia abaixo. Esta oncinha é uma aspirante a rica e, comparando as duas, concluí que não a amo tanto porque tem um leeeeve fundo branco (que não curto) e o preto se destaca demais. Não tem profundidade; a estampa está muito chapada e falta o pelo.

Já a oncinha que eu classifico como pobre não faz mais parte do meu acervo. Comprei esta clutch pelo site da Forever 21 logo que me mudei para os EUA e lembro que me decepcionei com a cor quando foi entregue em casa. Apesar de imitar o pelo, as pintas são pequenas, têm um tom opaco feio e parecem borradas; o desenho não é bem feito, dando aquele aspecto de peça barata, sabem? Eu achava que a clutch acabava empobrecendo meu look.

Até que encontrei outra bolsa no início deste ano – e com textura peludinha! Não a qualifico como top, mas ela está no caminho. Creio que, para ser lindona, precisava ter menos amarelo na composição, porque a pinta em si está legal (apesar de que poderia ser um pouquinho maior. Talvez eu prefira desenhos grandes). 

Refletindo sobre o assunto, concluí também que a onça colorida (pink, azul, vermelha...) não me atrai, pois fica fake. Entretanto, reforço que esta é a minha opinião, ok? Não estou impondo nada, até porque respeito o estilo das pessoas e, assim como todo mundo, cometo deslizes nas compras. O importante é reparar no tamanho e formato das pintas, além da harmonia das cores da estampa – e tudo isso independe do valor da peça (não quero dizer que a onça rica custa caro e vice-versa; é questão de encontrar uma impressão bonita)! Afinal, esta padronagem conquistou o coração e o guarda-roupa das mulheres e não sairá de moda tão cedo.

Falando agora da renda – outra dúvida da Grasi –, admito que foi ainda mais difícil pra mim definir a nobreza deste tecido, até porque existem vááários tipos e não sou especialista nisso. Depois de quebrar a cabeça, segui minha intuição para distinguir as peças do meu closet. Reconheço que a renda abaixo não é a sétima maravilha do mundo, mas é a melhor que tenho no momento:

Gosto porque tem um toque macio e bom caimento no corpo. A textura e os pontos formados pelas flores garantem um efeito bonito. Tem um aspecto meio artesanal, remetendo ao crochê, mas nada exagerado, porque definitivamente não sou fã de trabalhos manuais. Também aprecio a borda trabalhada (chamada de bico), detalhe que contribui para enriquecer a blusa.

E é óbvio que a renda pobrinha para roupas é aquela que lembra lingerie: fina, de poliéster, que chega até a pinicar, haha. Vasculhei o meu acervo e não encontrei nada péssimo para exemplificar, porém tenho consciência de que este moletom preto não é um primor. Como estava na promoção quando comprei, achei que dava para enganar, kkkkk.

Será que fui clara neste post? Minha dica é para vocês manterem os olhos abertos diante das inúmeras opções de onças e rendas que estão disponíveis nas lojas. Escolher peças de qualidade, que aparentem ser mais caras do que realmente são, é um truque ótimo para levantar o look e valorizar a imagem pessoal.

Comentários

  1. Camis eu amei o post. Te pedi pra fazer porque estou numa vibe de qualidade das peças, dos tecidos, dos caimentos e costuras e quero trazer isso para os meus looks! Achei super esclarecedor com relação a estampa de onça e a do seu blazer realmente é um espetáculo! Com esse post deu para entender perfeitamente a diferença e acho que a riqueza está em o mais próximo que se pareça com a pele do animal né! Lindo demais, parece uma obra de arte!
    Quanto as rendas, também sigo esse conceito de que se lembrar a de calcinha, não rola pra roupa e preciso confessar que aprendi isso a bem pouquinho tempo, porque achava que com renda podia rolar de todas!!! hahaha!!!
    São esses pequenos detalhes que fazem o look, serem "O LOOK" , né!!!
    Amore, muito obrigado, flor, você é demais! Super beijo!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eeeee, fico muuuuito feliz de saber que você gostou do post, Grasi! Fiz com carinho, tentando mostrar que a gente sempre pode fazer uma escolha mais acertada, independente do preço da peça; afinal, é questão de estampa e não de dinheiro! Acho muito legal que você está mais atenta à qualidade, caimento e acabamento, pois são detalhes que fazem diferença no look mesmo... E assim vai construindo um acervo cada vez melhor! Parabéns e obrigada pelo comentário, viu?! =)

      Excluir
  2. Katry Dal Piva05/11/2015 11:01

    Super concordo contigo a respeito da onça e a renda! A diferença é muito nítida entre as estampas da onça né! E eu também não curto as coloridas.. Temos o mesmo gosto, acho que é por isso que amo tanto seus looks hehehe! Ameiiii amei amei esse seu blazer! Muito RICO mesmo! beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ufa, mais uma leitora que me apóia, hahahaha! Valeu, Katry! Sei que o assunto é polêmico (classificar como "pobre" ou "rica"), mas não é questão de dinheiro e sim de opinião. Até porque consciente ou inconscientemente a gente faz isso quando opta entre duas peças, avaliando-as como "feia" e "bonita". E você sempre super carinhosa comigo, muito obrigada! Um beijão pra vc tb!

      Excluir
  3. Gostei e deu para entender bem a diferença, acho que tenho dos dois tipos no meu closet, ricos e pobres Rs...😘

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Patty! Que bom que consegui escrever de forma compreensível... Mas ressalto que esta é a minha opinião, ok? Cada um usa/compra o que quiser! Obrigada pelo seu comentário! =)

      Excluir
  4. Camila, adorei o post.
    Que tal uma classificação econômica de jeans e camiseta ou sapatilha?
    Márcia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Márcia, que bom! Fico contente de saber! Sobre sua sugestão, eu fico meio assim de fazer este tipo de post porque não tem embasamento técnico, sabe? É só a minha opinião! Daí tem muita gente que leva a ferro e fogo, e eu - apesar da boa vontade - recebo críticas desnecessárias... Mas pensarei com carinho, ok? Um beijo e obrigada novamente por seu comentário! =D

      Excluir
  5. Gostei da sugestão da classificação dos jeans! Em relação a renda, achei muito boa sua classificação e sua blusa é muito bem feita. Pois, além da qualidade da renda é bom observar o acabamento. Parabéns! Ótimo post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz com seu feedback, Rose! Vou pensar com carinho na sugestão da classificação dos jeans! Obrigada pelo comentário e boa semana!

      Excluir
    2. Pensa com muuuuito carinho! ;)

      Excluir
    3. Kkkkkkkkk, ok ok!!! =D

      Excluir

Postar um comentário