Look: Natal 2015

Oiiii, gente! Feliz Natal! Como passaram o dia? E o Papai Noel, foi generoso? Sei que no Brasil já está tarde (aqui são 6h a menos), mas ainda é 25 de dezembro e quero desejar muita paz e alegria na vida de vocês! Espero que tenham celebrado a data ao lado das pessoas que amam! Eu, é claro, estou com o coração apertadinho de saudade do meu paizinho e da família em Itatiba, ainda mais que hoje também é aniversário da minha vó linda! Parabéns, dona Idalina! Sinta-se abraçada e beijada pela sua neta mais velha – e preferida também, kkkkkkkk!

Agora, mereço nota 10 pela minha eficiência: aqui está o look completo que usei ontem para comemorar a véspera do Natal na casa de uma família americana. Diante do frio (inverno chegou chegando), montei uma produção recheada de camadas e texturas. A novidade ficou por conta do suéter vermelho, que comprei especialmente para a ocasião (clichê total, eu sei). Apesar de não ser muito fã da cor, logo que bati o olho na loja me encantei. As tranças deixaram o tricô mais elaborado e eu adorei o caimento certinho no corpo nem justo, nem largo, pois experimentei outros que ficaram péssimos. 

Conforme mencionei no post que entrou segunda-feira, nesta época, gosto de usar peças com um clima festivo. Por isso, optei pela saia de franjas em couro fake (que me dá vontade de rodopiar, rsrs). Creio que esta foi uma das modices que mais curti em 2015!

Coloquei uma meia-calça preta e, por cima, a bota over the knee de camurça, que reforçou o lado sexy da produção ao mesmo tempo em que manteve minhas pernas quentinhas. Cada dia que passa eu amo mais os modelos de cano acima do joelho – e esta tem um salto baixo que é beeeeeem confortável.

Porém, para conter a sensualidade, apostei no casaco comprido pink (pena que as fotos não fizeram jus à beleza dele), que resultou em uma combinação criativa e não tão óbvia junto ao vermelho. Eu piro neste casaco por conta da cor, que foge da sobriedade tão comum nos looks de inverno, e porque mesmo com o abotoamento duplo consigo usá-lo aberto. O comprimento também funciona com saias, vestidos e calças, esbanjando versatilidade.

Ao invés de bolsa, levei somente uma carteira de mão (chamada de mini capanga). Legal que ela agregou uma textura extra, conferindo uma dose de modernidade ao visual.

Como o marido estava com pressa, preferi cachear o cabelo com o Curl Secret da Conair (ao invés de testar a nova chapinha) e fiz a maquiagem básica de sempre, escolhendo um batom discreto para não competir com as cores da roupa.

A única vez que usei a saia de franja foi no verão passado, em uma proposta com mix de estampas para assistir ao show do Van Halen:

Este foi o nosso primeiro Natal nos EUA entre americanos e, como eles têm o hábito diário de jantar cedo – por volta das 18h –, nossa ceia ocorreu logo depois das 19h. Achei os costumes parecidos com os do Brasil: fizemos uma oração antes de comer e depois rolou o amigo-secreto ladrão – aquela brincadeira em que o que fica secreto é o presente (e não o amigo). O sorteio ocorre na hora e você pode roubar o que outra pessoa já escolheu. Às escuras, eu peguei um kit de lanternas e pilhas, haha (o marido agradece). Enfim, foi uma noite agradável e divertida, pois com as boas companhias não fiquei tão sentida de estar longe da família.

Agora, que venha o final de semana e depois o Réveillon! =)

Comentários

  1. Aaaaaaaaaamei <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba, fico feliz de saber! Da próxima vez deixa seu nome! =)

      Excluir

Postar um comentário